Eficiência Energética no centro da Gestão das Cidades Inteligentes
Postado 08/09/2020 10:13:32

Eficiência Energética no centro da Gestão das Cidades Inteligentes

 Por Miro Andretto Noronha 


A capacidade produtiva de energia no mundo não cresce na mesma velocidade que a demanda energética aumenta, isso gera uma necessidade de não só expandir os sistemas de produção e distribuição, mas também de otimizar os já existentes, tornando-os mais eficientes e eliminando os desperdícios.

As grandes cidades crescem exponencialmente e suas necessidades de recursos também. Segundo a EPE - Empresa de Pesquisa Energética, até 2030 a população urbana brasileira chegará a 220 milhões de pessoas, consolidando uma taxa de crescimento de 12%, enquanto o aumento percentual de demanda energética chegará a 33%.

Eficiência Energética

Neste contexto apenas aumentar a produção torna-se um investimento alto e difícil de execução. Usinas hidroelétricas, são projetos longos que demandam grandes estudos de impacto ambiental e social, pois afetam diretamente o entorno de onde se localizam, além do fato da centralização da produção criar outra necessidade, a de transportar essa produção para os grandes centros urbanos e áreas industriais e comerciais. Há uma perda significativa de energia durante o trajeto que ela percorre entre a unidade produtora e as consumidoras e neste cenário de grande crescimento, essa perda não pode mais ser permitida. Não basta produzir mais, deve se distribuir melhor, consumir conscientemente e gerenciar de maneira otimizada toda essa cadeia.

Soluções como geração distribuída, energias renováveis – solar e eólica -,  biomassa e biocombustíveis vêm se mostrando alternativas cada vez mais viáveis para a eficiência energética. Por encurtar as redes de transmissão, não impactar o meio ambiente, serem renováveis e inesgotáveis, elas vêm gerando uma série de mudanças que trazem diversificação produtiva, redução de custos de grandes projetos e investimentos descentralizados que trazem impactos econômicos em diversos locais, como novos empregos e movimentação de microeconomias, além de fortalecer o segmento e colocar o país como grande expoente de geração sustentável de recursos.

Cidades Inteligentes 

As cidades inteligentes trazem mudanças importantes para a vida não só de seus moradores, mas a toda uma cadeia que nela se desenvolve, direta ou indiretamente. Alguns dos impactos são:

- Melhoria no trânsito e na mobilidade urbana;

- Segurança pública;

- Meios de produção e gestão de recursos;

- Poluição e gestão de resíduos;

- Educação e geração de empregos;

- Igualdade social e sustentabilidade, entre outros.

 

O grande desafaio das cidades inteligentes é, se tornarem mais eficientes, mais habitáveis e sustentáveis. Tudo isto passa por uma necessidade cada vez maior de recursos, tecnologia e claro, de energia!

Aprender a otimizar os recursos vai ser crucial para que isso aconteça.


Leia também:

O que é Eficiência Energética?

Eficiência Energética: Indústria 4.0

Assine nossa news para receber notícias e atualizações