Notícias

Ensaios de Arco Interno de Potência em Cabines Metálicas
Postado 18/05/2020 08:33:10

Ensaios de Arco Interno de Potência em Cabines Metálicas

Por Johnny Guimarães


Por que solicitar o ensaio de arco interno?


Este ensaio é aplicado nos conjuntos de manobra e controle das cabines metálicas para aferir os níveis de segurança oferecidos aos operadores e pessoas que circulam nas proximidades, em condições normais de operação ocorra um arco interno no equipamento. Eventualmente o ensaio também pode ser aplicável a outros equipamentos, como transformadores, para estudos específicos. No Brasil esses ensaios são realizados pelo laboratório de Alta Potência (AP2) do Centro de Pesquisas de Energia Elétrica (Cepel), em Nova Iguaçu (RJ).
A classificação de arco interno é originada da sigla em inglês IAC (Internal Arc Classification) e foi criada pela International Electrotechnical Commission (IEC) como um padrão de nível mundial para equipamentos de média tensão. Ela é citada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas na NBR IEC 62271-200 (Conjunto de Manobra e Controle de Alta-tensão).
A eficácia do projeto de uma cabine metálica é comprovada através do nível de proteção oferecido às pessoas, fator que é atestado por meio do ensaio de arco interno garantindo sua confiabilidade de operação.
Projetos bem sucedidos nos ensaios são qualificados como classe IAC (vide anexo), considera-se a sobrepressão que incide internamente no teto, portas e demais faces da cabine. A classificação também considera os efeitos térmicos do arco elétrico e suas origens, bem como os gases e partículas incandescentes geradas por essa ação.



O que gera os arcos internos?


Apesar da aplicação de materiais de alta qualidade, testes rígidos de fábricas, intertravamentos mecânicos e elétricos, o arco elétrico pode ser gerado por diversos motivos. Os principais deles são:
– Falha da isolação ou dos contatos devido ao envelhecimento;
– Falha de transformadores de instrumentação (TC e TP);
– Sobretensões ocasionadas por descargas atmosféricas;
– Poluição no ambiente de instalação da cabine;
– Operação equivocada;
– Manutenção precária.
Um arco elétrico gerado dentro de um painel desencadeia uma sobrepressão e aumento de temperatura dentro do invólucro. Como resultado, tem-se um esforço mecânico e térmico extremo no interior do equipamento, resultando em deformações e até mesmo em inutilização do produto.


Conclusão


A norma prevê a obrigatoriedade deste ensaio para aumentar a segurança das instalações elétricas e das pessoas. Utilizar cabines e painéis conforme norma significa entregar aos clientes equipamentos confiáveis e em conformidade para operações seguras.
No link abaixo é possível visualizar o vídeo do ensaio que foi realizado com a cabine Romagnole atestando a alta qualidade, já tradicional nos produtos da marca, e a segurança que esse equipamento proporciona aos usuários.

Anexo:
A classificação do Arco Interno é designada como IAC – A – FLR – I – T.
Sendo que:
IAC (Internal Arc Classification): Invólucro metálico classe IAC
A (Access): Tipo de Acessibilidade
Acessibilidade do tipo A – Restrito à pessoas autorizadas;
Acessibilidade do tipo B – Acessibilidade ao público;
Acessibilidade do tipo C – Acessibilidade restrita por instalação fora do alcance, instalação em postes;
FLR (lado de acesso ao painel): A acessibilidade dos tipos A e B é definida de forma mais precisa, definindo acesso por um ou mais lados do painel como:
F (front) para acesso frontal ao painel;
L (lateral) para acesso Lateral; e
R (rear) para acesso traseiro.
I: Corrente máxima de curto circuito: corrente nominal de corte de curto-circuito (em quiloamperes, kA);
T: Duração do arco interno em segundos.


Assine nossa news para receber notícias e atualizações